Estudo Twiplomacy 2016

Grande

As mídias sociais têm se tornado fundamental para as divulgações das diplomacias. Foi considerada uma ferramenta medíocre e hoje é considerada uma das ferramentas mais eficazes para os líderes mundiais, uma vez que as notícias são simplesmente postadas em seu feed de notícias. Estes diversos canais sociais trouxeram uma vasta plataforma de comunicação incondicional, e se tornaram a ferramenta mais importante de qualquer comunicador hoje em dia. O Twitter em particular se transformou no próprio “barômetro” dos líderes políticos, uma ferramenta usada para analisar as relações internacionais.

Há uma extensa variedade de mídias sociais para se escolher. Enquanto alguns líderes e governantes ainda colocam na ponta do lápis os prós e contras de qualquer rede social, outros têm ido além do Twitter, Facebook e Instagram, emergindo inclusive para o Snapchat, WhatsApp e Telegram, onde a comunicação é quase impossível de se rastrear.

O estudo do Twiplomacy 2016 da Burson-Marsteller se expandiu para que outras mídias sociais fizessem parte do estudo das plataformas dos líderes, tais como Facebook, Instagram, YouTube, Google+, LinkedIn, Vine e Periscope.

Há uma crescente divisão entre os governantes que são ativos nas redes, com times dedicados e equipes eficientes, e há aqueles governantes que veem as redes sociais como um transtorno. Ainda há um pequeno número de políticos que se recusam a abraçar a era moderna e digital e por isso, seu gerenciamento de comunicação enfrenta o desafio constante de se inserir cada vez mais no mundo moderno.

No último ano, os líderes políticos mais populares das mídias continuaram aumentando suas audiências e visualizações, enquanto novos líderes emergiram apenas para a esfera do Twiiter, ou como os norte-americanos chamam de “Twittersphere”. Mauricio Macri da Argentina, Justin Trudeau do Canadá e o presidente norte-americano Barack Obama impactaram de tal forma sua visibilidade no Twitter e Facebook com o passar dos anos que são exemplos de líderes “conectados”.

A rede social de Obama se tornou ainda mais pessoal que sua conta @POTUS no Twitter e Facebook, e o primeiro “presidente da era digital” deixará a Casa Branca em janeiro de 2017 com uma incrível quantidade de 137 milhões de seguidores, fãs e inscritos. Além dos famosos Twitter e Facebook, líderes como o presidente da Argentina também se tornaram ativos no Snapchat para alcançar uma audiência mais jovem. Similarmente, um número razoável de políticos, principalmente na América Latina, começou a aderir ao Periscope, uma rede social eficaz para transmissão ao vivo de suas conferências.

Temos testemunhado diversas interações de políticos com o público, como as interações amigáveis entre os Obamas, a rainha da Inglaterra e o primeiro ministro do Canadá. Ministros estrangeiros continuam expandindo seu network diplomático seguindo cada um e criando coalisões em tópicos específicos, em particular as brigas contra o ISIS.

Descobrimos que para os governantes, Twitter é ainda visto como uma plataforma somente de escrita e por isso somente um quarto de 1.3 milhões de tweets possuem fotos anexadas. No último ano, vários líderes mundiais abraçaram as comunicações visuais e vários outros se tornaram ativos no Instagram, compartilhando as cenas “por trás dos bastidores” ou simplesmente crônicas de suas atividades diárias.

Papa Francisco, que raramente compartilha fotos no Twitter, criou uma conta no Instagram em Março de 2016 especialmente para promover sua comunicação visual e se tornou o terceiro líder mundial mais seguido na rede social.

Alguns líderes mundiais, incluindo o presidente da Colômbia e Julie Bishop da Austrália usam emojis para alegrar seus tweets, criando o que pode ser descrito como uma nova linguagem diplomática. O ministro estrangeiro da Finlândia produziu recentemente seu próprio conjunto de emojis, totalizando 49 símbolos.

Perguntamos a alguns líderes digitais de um dos ministérios mais bem-conectados para compartilharem o que acham sobre seus canais de redes sociais preferidos e exemplos de suas melhores campanhas em nosso blog.

Aqui está nossa lista dos Top Twenty Twitterati em 2016 #Twiplomacy.

 

As Redes Sociais dos Líderes Mundiais

O Twitter é a rede social mais escolhida pelos líderes mundiais e ministros estrangeiros. O time do estudo feito pela Burson-Marsteller identificou 793 contas no Twitter pertencentes a líderes de Estado e governantes em 173 países, representando 90% de todos os membros das Nações Unidas, com uma combinação na audiência de 324 milhões de seguidores. Todos os países da Europa e da América do Sul têm uma forte presença nas redes sociais, porém algumas contas, como a conta do Capitão Regent de San Marino estão inativas.

Somente 20 países, principalmente na região do Pacífico e da África, não possuem presença no Twitter. Até mesmo o governo chinês, que é famoso por bloquear o network Ocidental está se abrindo cada vez mais para o engajamento digital e algumas de suas missões diplomáticas são bem ativas no Twitter.

O Facebook é a segunda rede social mais popular entre seus líderes e é onde possuem o maior número de audiências. Os líderes de Estado e ministros estrangeiros de 169 países estão presentes na plataforma, representando 88% de todos os membros de estado das Nações Unidas. As 537 páginas do Facebook têm uma audiência total de 255 milhões de curtidas. Em média, as páginas do Facebook são mais populares que as contas do Twitter, com uma média de 31.000 curtidas por página, comparado aos 14.000 seguidores em cada conta do Twitter.

O YouTube é a terceira rede social mais usada entre os líderes políticos e 151 utilizam ele como um repositório para vídeos, apesar da média de inscritos ser somente 486.

Já o networking de compartilhamento de fotos Instagram é a quarta rede social mais usada, onde 71% de todos os membros de estado das Nações Unidas têm criado uma conta para compartilhar os “bastidores” de suas atividades.

O Google+ completa a lista das TOP 5 redes sociais, com 129 governantes presentes. No entanto, dois terços das 271 páginas estão adormecidas ou desativadas e têm em torno de 59 seguidores.

Apesar do tamanho, Linkedin, VinePeriscope e Snapchat são nichos sociais usados por menos de 40% de todos os membros de estado da Nações Unidas.

 

10 Dicas Para Construir Engajamento Nas Redes Sociais

À medida que o engajamento se torna a nova medida de sucesso das mídias sociais, saber dirigi-lo se tornou muito importante para as estratégias de comunicação hoje. O estudo do Twiplomacy providencia exemplos de como se trabalhar corretamente com ele. O time de estudo do Twiplomacy desenvolveu 10 dicas para comunicadores que explica como construir um engajamento mais eficiente e analisa os diferentes formatos de postagens nas redes sociais.

Estas dicas de plataforma-cruzada ajudam a estabelecer uma presença social mais sólida nos dias atuais (modernos):

  1. Seja Visual

Como diz o ditado “uma foto vale mais que mil palavras”. O uso de vídeos e imagens são essenciais para se comunicar com impacto hoje em dia; quanto mais visual for o post, maior será a interação com o público. Este tópico levantado é voltado mais para plataformas como Instagram, Vine, Periscope e Snapchat, mas serve também para outras mídias.

 

  1. Seja Criativo

Com um mundo onde as comunicações estão saturadas, cortando o desnecessário é muito importante. É preciso ser notado, e plataformas como Instagram, com sua avançada edição e ferramentas disponíveis, se tornou um berço para a criatividade. Um exemplo disso é o post do primeiro ministro da Estônia onde publicou sua perna e a de uma visita não-identificada, ambas com meias coloridas.

 

  1. É preciso entreter sua audiência

Posts descontraídos criam um ótimo engajamento. Desde o estudo do YouTube, o vídeo mais visto de Barack Obama dançando no programa the Ellen show e de Michelle Obama no Vine com “Turnip for what”em homenagem ao seu jardim na Casa Branca até o vídeo mais explícito da Comissão Europeia para promover os filmes europeus – estes são alguns dos posts que tendem a ser virais e criar um importante engajamento.

 

  1. Junte ‘conteúdo’ e ‘canal’

Onde sua audiência está diz tudo sobre a plataforma que se deve usar, então conheça seu público e junte seu conteúdo cuidadosamente de acordo com ele. Não publique automaticamente o mesmo post do Instagram no Twitter, por exemplo, uma vez que o público não apreciará ele. Conecte com influenciadores no Twitter, construa comunidades no Facebook e fale diretamente (literalmente) com seu público mais jovem no Snapchat e Vine – cada plataforma tem seu tipo de postagem.

 

  1. É melhor uma conta inativa do que uma conta adormecida

Sua conta não é só um acessório de eleição, é também útil para seu tempo no escritório, para comunicar suas ações. Se você estiver tentando ampliar a quantidade de perfis em mídia social, então faça isso corretamente. Lembre-se que qualidade é mais importante que quantidade.

 

  1. Tenha um rosto mais humano

Somos todos seres humanos, então comunique-se como um. O estudo do Twiplomacy mostra que as imagens mais postadas por líderes mundiais e que mais fazem sucesso são os posts pessoais. Isso inclui a decoração de natal, a malhação diária ou seus snaps dos feriados. Já os posts em família são achados geralmente nas contas do Facebook e Instagram dos líderes mundiais.

 

  1. Redes sociais devem ser lugar para dialogar

Comunicação não é mais uma via de mão única. As redes sociais têm a finalidade de dialogar com sua audiência, então convide-os para contribuir e fazer perguntas! Alguns organizam sessões de Q&A no Twitter, como o primeiro ministro de Ruanda, Anastase Murekezi, que marcou seus chats ##TalktoPMRwanda. Outros têm usado as novas ferramentas do Facebook para dialogar ao vivo, e o Parlamento da União Europeia inclusive pede para que seus usuários “retornem” com Snaps em suas contas no Snapchat.

 

  1. O conteúdo tem tudo a ver com o tempo

Planejamento é crucial, portanto assegure que o que você está postando é relevante àquela audiência especifica, naquele tempo específico. Mas cuidado com posts que possam se tornar obsoletos. A Missão dos EUA nas Filipinas preparou um convite para uma festa ao ar livre enquanto um ciclone tropical estava dominando o país.

 

  1. Poste com cuidado

O mundo todo é um palco – a mídia social tem um alcance incrível, mas isto pode ser perigoso se algo der errado. Se você não está tweetando em sua língua nativa, então arranje alguém que leie os tweets antes de serem publicados.

10. Sua rede de network não é seu patrimônio líquido

Seu networking online é tão importante quanto seu networking offline. Ambos são necessários e ambos se completam. Barack Obama deixará seu cargo como presidente dos Estados Unidos com uma pegada digital de 137 milhões.

 

Infographico GERAL twitter

 

Os Líderes Mundiais Mais Seguidos  

O presidente norte-americano Barack Obama ainda é o líder mais seguido e engajado do mundo. Sua conta @BarackObamaagora tem 75 milhões de seguidores. Ele inclusive lidera os rankings no Facebook, Instagram, YouTube e Google+ com suas contas de campanhas eleitorais, os quais utilizou durante suas campanhas em 2008 e 2012, mas que não são gerenciadas pela administração dos EUA.

Obama será lembrado também como o primeiro presidente digital que usou efetivamente suas redes sociais para o trabalho.  Ele será creditado por colocar a Casa Branca no radar digital e por criar uma conta pessoal no Twitter para a primeira dama (@FLOTUS), para o vice-presidente (@VP) e para ele mesmo (@POTUS).

A conta @POTUS foi ao ar em 18 de maio de 2015 e agora é a sétima conta mais seguida entre os líderes mundiais, um pouco mais de um ano após ser criada. Já as contas @POTUS, @FLOTUS e @VP são contas pessoas-institucionais, as quais serão entregues para o próximo candidato eleito, assim como a conta @Pontifexcriada pelo papa Benedito XVI e agora é gerenciada pelo papa Francisco. O primeiro ministro do Canadá Justin Trudeau tem uma conta institucional parecida em duas línguas para seus escritórios, em inglês (@CanadianPM) e em francês (@PMCanadien).

Papa Francisco é o segundo líder mais seguido com mais de 28 milhões de seguidores em suas 9 contas com idiomas diferentes.

Sua conta oficial vai desde pensamentos filosóficos até preces em inglês, espanhol, italiano, português, polonês, latim, francês, alemão e árabe em até 140 caracteres. No entanto, ele está quase empatando com o primeiro ministro @NarendraModique tem quase 20 milhões de seguidores em sua conta pessoal e 11 milhões de seguidores na conta institucional, @PMOIndiano qual está em quarto lugar.

A Casa Branca está em quinto lugar com mais de 10 milhões de seguidores @WhiteHouseà frente do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan (@RT_Erdogan).

Na América Latina, o presidente do México Enrique Peña Nieto @EPNtem 5.2 milhões de seguidores, muito mais que o presidente da Colômbia @JuanManSantoso presidente da Venezuela @NicolasMaduroe o da Argentina @MauricioMacricada um com mais de 2.8 milhões.

Uhuru Kenyatta @UKenyattado Kênia se tornou o líder africano sub-sahariano mais seguido com 1.4 milhão de seguidores, quase empatando com @PaulKagamede Ruanda e a administração presidencial da África do Sul (@PresidencyZA) que tem exatamente 673.000 seguidores.

O primeiro ministro do Reino Unido é o mais seguido entre os líderes da EU, com mais de 4.4 milhões de seguidores – à frente do italiano @MatteoRenzi (com 2.3 milhões  de seguidores) e a família real britânica com 2.2 milhões.

Já o primeiro ministro da Índia é a líder mundial mais seguida com 5 milhões se seguidores, à frente da rainha da Jordânia @QueenRaniacom 4.7 milhões de seguidores. Abdullah Bin Zayed, @ABZayed, ministro das relações exteriores dos Emirados Árabes Unidos é o ministro mais seguido com 3 milhões de seguidores, juntamente com o secretário do Estado dos EUA, John Kerry.

Entre os ministros estrangeiros, o departamento do Estado dos EUA (@StateDept) é o mais seguido com 3.3 milhões de seguidores em suas múliplas contas de idiomas, à frente da diplomacia indiana com 1.3 milhões de seguidores em suas duas contas. O ministério turco, russo e francês completam o TOP 5 líderes com mais de 1 milhão de seguidores cada.

 

Quem É O Líder Mundial Mais Influente No Twitter?

A oficial @POTUS (conta do presidente dos EUA) é sem dúvida a conta mais efetiva e influente no Twitter diante de todos os líderes mundiais, considerando o fato de que recebe em média 12,350 retweets e uma média de 19,600 curtidas por tweets.

Mas o que será que faz da conta dele a mais popular? A @POTUS está considerando qualidade e não quantidade. O presidente dos EUA não tweeta todos os dias, mas quando tweeta, vale lembrar que é sempre cuidadosamente calculado e vem como um tweet “próprio das mãos de Obama”.

Entre seus mais famosos tweets está sua amigável conversa com Bill Clinton sobre a criação de sua conta e da primeira dama: “Boa pergunta, @BillClinton. Alguém se interessa pela @FLOTUS? A acompanhante vem com a casa”.

Em comparação, os tweets soltados pela conta pessoal de Obama (@BarackObama), que já tem 10 vezes mais seguidores que a conta presidencial @POTUS, são somente retweetadas em uma média de 1,572 vezes. Sua conta pessoal tem perdido um pouco de seu “dom” desde que postou um dos tweets mais famosos: A família Obama se abraçando e apenas 3 palavrinhas: “Mais quatro anos”.

O papa Francisco, por outro lado, é o terceiro ídolo mais seguido, com 9,905 retweets para cada tweet que ele manda em sua conta em espanhol e 7,604 retweets em média para a conta em inglês. Interessante é o fato de que o papa raramente incluí materiais visuais em seus tweets, deixando a comunicação visual de lado em uma das contas que tem se tornado a terceira mais seguida nos últimos dois meses.

Já a conta do presidente venezuelano @NicolasMaduro e do ministro estrangeiro da Arábia Saudita também saem em disparada com seus tweets e retweets. Mas, ironicamente, são os tweets menos “curtidos”.

Infelizmente, as notícias mais tristes são as mais retweetadas, como o tweet do primeiro ministro da Malásia sobre a perda do Malaysia Airlines MH370 e suas vítimas. Ou então a do presidente da França sobre os ataques terroristas em novembro de 2015. Aqui está uma coleção dos tweets mais retweetados dos líderes mundiais.

 

Criando Um Network Diplomático Virtual

“Precisamos de um exército de diplomatas usando ferramentas novas de modo autêntico, engajador e intencional”, escreveu o embaixador do Reino Unido Tom Fletcher no Future FCO Report. “Mais equipes diplomáticas em posto deveriam construir seus perfis sociais”, acrescenta ele.

O escritório oficial do Reino Unido provavelmente tem o maior networking “twiplomático” e mantêm uma lista pública no Twitter com um recorde de 305 embaixadas, embaixadores e adjuntos em missão no Twitter. Canadá é o segundo país com 213 missões e chefes de missões no Twitter. No entanto, nem todos os países encorajam seus embaixadores no Twitter; embaixadores russos e suecos, por exemplo, têm sido assessorados a não encorajar seu público (particularmente) na plataforma.

Em 2014, o Ministério de Negócios Estrangeiros do Canadá colocou a maioria de seus embaixadores e adjuntos no Twitter com o desafio de que todos os adjuntos deveriam ter suas próprias contas separadas em inglês, francês e algumas vezes até mesmo na própria língua nativa.

De acordo com a lista abrangente do Twitter no @Twiplomacy, mais de 5,000 embaixadas e embaixadores estão conectados agora no Twitter. Em Londres, Nova Iorque, Washington, Bruxelas e Genebra, missões diplomáticos estrangeiras já não podem mais ignorar a atividade diplomática na Twitterfera. Até mesmo as missões chinesas para o Canadá, Turquia, União Europeia e as Nações Unidas em Nova Iorque e Genebra estão ativamente tweetando.

E um fato interessante é que as missões russas para NATO (@NATOmission_RU) é a missão mais seguida com 645,896 seguidores, à frente da embaixada chinesa (@USA_China_Talk) com meio milhão de seguidores e a @USEmbassyManilae @USEmbassyJktem Jakarta com 410,000 e 288,000 segudiores, respectivamente. Todas as 5,000 embaixadas e embaixadores têm 19.6 milhões de seguidores e a média para cada missão é de 962 seguidores. As Nações Unidas é seguida por 1,924 embaixadores e missões, à frente do @TheEconomist e do nosso @Twiplomacy, seguidos por 1,517e 1,387 embaixadores e missões, respectivamente.

 

Hashtag Diplomacia

#COP21, #Ucrânia e #UE são algumas das mais usadas hashtags por líderes mundiais como ilustrado por esta nuvem global, refletindo o que mais é comentado sobre certos tópicos. O presidente de Ruanda, Paul #Kagame e #Ruanda mostram proeminentemente como são constantemente mencionados em sua conta do Twitter (pessoal e governamental). O presidente da Índia, a chanceler alemã Merkel e o ministro estrangeiro da Alemanha são os mais comentados em Hashtags.

Com o passar do tempo, líderes mundiais têm usado hashtags para promover problemas específicos, como #BringBackOurGirls (Traga nossas garotas de volta) e #ENDViolence (Pare a violência) contra as crianças.

O presidente Evo Morales da Bolívia, que se juntou ao Twitter recentemente, está fazendo lobby para um acesso ao mar para seu país com a hashtag #SeaForBolivia e #MarParaBolivia.

No final de março de 2014, o porta-voz do Departamento do Estado Jen Psakipostou uma foto com a hastag #UnitedForUkraine (Unidos pela Ucrânia), uma campanha que foi coordenada com um número de aliadas ocidentais incluindo o Escritório Estrangeiro do Reino Unido, Departamento de Assuntos Estrangeiros do Canadá e os ministérios estrangeiros da Ucrânia e da Suécia. Em alguns dias a hashtags havia sido tweetada mais de 400 vezes, totalizando 23,000 retweets.

As hashtags servem basicamente como um poderoso grito de guerra de causas específicas e ajudam a terem reconhecimento internacional no Twitter.

A análise feita com todas as menções no Twitter pelas 793 contas, mostram que o secretário do Estado, John Kerry, é o mais mencionado na rede social e em segundo lugar está o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que possui 14 contas no Twitter em diferentes línguas.

 

As Contas Adormecidas

Alguns líderes realmente usam as redes sociais –  o Twitter particularmente –  somente durante campanhas eleitorais. Muhammadu Buhari da Nigéria, por exemplo, estava ativo o tempo todo durante sua campanha eleitoral em 2015, mas abandonou seus 1.1 milhões de seguidores em setembro do mesmo ano e agora seu escritório comunica somente pela conta @NGRPresident.

Outros líderes como o presidente da Inodnésia, Chile e da França também suspenderam suas contas em um curto período de tempo, e depois reativaram novamente quando as eleições estavam se aproximando.

Mas quando o governo muda, as contas na rede também mudam: A presidência de Portugal, com um lindo e simples nome (@Presidencia), criou em 2008 uma conta com 87,000 seguidores e que foi modificada pelo novo presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, que não é um fã de redes sociais. E de todas as contas analisadas no estudo, 134 das 793 estão adormecidas.

Em Costa Rica, Honduras e Panamá, novas contas institucionais foram criadas para seus respectivos ministros, uma vez que seus antigos líderes não passaram detalhes da conta e nem mesmo senha, e hoje estão abandonadas.

 

Líderes Mundiais São Conversadores no Twitter?

O Twitter permite que cidadãos comuns direcionem mensagens para seus líderes. Qualquer um pode @mencionar um líder mundial no Twitter, mas se ele irá responder, aí é outra história. Porém, alguns líderes sempre procuram responder seus seguidores.

Entre os líderes mais conversadores está o líder africano Paul Kagame, de Ruanda (com 81% de replies na rede social). Em segundo lugar está o primeiro ministro da República Democrática do Congo, Mapon Matata, com três quartos de seus tweets sendo respondidos. E em terceiro lugar está o primeiro ministro de Ruanda, Anastase Murekezi, famoso por organizar diversos chats no Twitter com a hashtag #TalkToPMRwanda (Fale com o primeiro ministro de Ruanda).

 

E Quem Tweetou Primeiro?

Barack Obama foi o primeiro líder mundial a criar uma conta no Twitter em Março de 2007 quando ainda era senador de Illinois. Já o presidente Enrique Peña Nieto, o Departamento do Estado e o primeiro ministro de Kosovo estão entre os primeiros a adotarem o serviço de micro-blogging em 2007.

Algumas contas estão desativadas e nunca mandaram uma única mensagem, e 7 são contas protegidas, incluindo a conta do presidente da Gâmbia, @JammehOfficial. 46% (mais precisamente 370 dos 793) foram oficialmente verificadas pelo Twitter, dando-lhes uma estrela azul de autenticidade.

 

Confira todo o estudo em nossa página no SlideShare: http://goo.gl/u8qcn0

 

Sobre Este Estudo

Twiplomacy é um estudo líder global sobre líderes mundiais nas redes sociais, conduzido por líderes de relações globais e comunicacionais da Burson-Marsteller.

Burson-Marsteller identificou 793 contas de chefes de estado e governos, ministros estrangeiros e suas instituições em 173 países mundialmente. O estudo analisa cada conta de seus líderes, o histórico de seus tweets e suas conexões com cada um.

Informações foram coletadas em 1 de maio de 2016 usando as ferramentas da Burson-Marsteller para analisar as 628,000 possíveis conexões entre líderes mundiais. Outras variáveis consideradas incluíram: tweets, seguindo, seguidores, a data que o usuário entrou para o Twitter, tweet/dia, retweets, porcentagem de retweets, @respostas, porcentagem de @respostas, tweets retweetados, média de tweets retweetados.

Burson-Marsteller analisou cada conta para ver se teria uma imagem de cabeçalho, se a conta estava adormecida, ativa ou protegida e se o líder mundial tweeta pessoalmente. Analisamos também a linguagem que cada conta estava configurada e a presença de listas no Twitter.

Todas as informações do Twiplomacy podem ser baixadas aqui.

Matthias Lüfkens

@Twiplomacy

Genebra, 1 de junho, 2016